icon1 Áreas de Atuação

A incontinência urinária de esforço se caracteriza pela perda involuntária de urina que ocorre durante manobras de esforço, como tossir, espirrar, levantar peso ou, até mesmo, mudança de posição ao dormir. Nas mulheres esses problemas estão relacionados ao número de gestações, menopausa, obesidade e prolapsos de órgãos pélvicos (bexiga caída e útero caído).

A Cirurgia de Sling na Incontinência Urinária Feminina é indicada para incontinência de esforço quando o tratamento conservador falha. Esse tratamento minimamente invasivo nada mais é do que a introdução de uma fita de polipropileno (ou de tecido do próprio corpo da paciente) abaixo da uretra, por via vaginal, com o objetivo de aumentar a resistência uretral e reduzir a perda de urina.

Incontinência urinária afeta uma em cada três mulheres em todo o mundo. É mais comum em mulheres que tiveram partos transvaginais e naqueles que têm a fraqueza dos músculos do assoalho pélvico por outras razões.

Nos últimos 10 anos, a técnica padrão aceita tem sido a operação sling sob terço médio da uretra, segundo a qual uma fita artificial ou malha é colocada diretamente abaixo da uretra e é ancorada aos tecidos nas partes adjacentes da região inguinal ou logo acima do púbis.

Segundo os dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), estima-se que uma a cada 25 pessoas pode sofrer de incontinência urinária ao longo da vida. E cerca de 40% das mulheres após a menopausa perdem urina de forma involuntária.

IMPLANTE DE SLING

Hoje em dia, é possível realizar este tipo de procedimento em regime ambulatorial (com possibilidade de alta no mesmo dia). O implante de sling sintético proporciona melhora da incontinência urinária em 70 a 90 % das pacientes. A médica ginecologista é uma das especialistas que podem orientar sobre a melhor estratégia cirúrgica e realizar o implante de diferentes tipos de slings para o tratamento da incontinência urinária de esforço.

Exemplos dos sling comumente usados são a fita vaginal sem tensão (TVTTM) e a fita transobturadora (TOT). 

O procedimento cirúrgico pode ser feito de duas formas:

  • Vaginal;
  • Vaginal, assistida por Laparoscopia/Robótica.

Dra. Fabiana Antonello Bersch – Ginecologista Obstetra – CRM/MT 3751
Especializada em Reprodução Assistida e Estética Genital Feminina (Cosmetoginecologia)
Rua Santo André, 515 – Primavera do Leste – Mato Grosso – MT